Blog

Segurança em armazéns logísticos: você conhece as regras e normas?

05 de dezembro de 2019
A segurança nos armazéns logísticos é regida por uma série de normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que frequentemente são revisadas e aperfeiçoadas de acordo com as necessidades de cada segmento.

Profissionais que trabalham em armazéns logísticos e centros de distribuição são cobertos por normas de segurança que precisam ser praticadas e observadas com o máximo de atenção possível. Setores de armazenagem e distribuição de produtos, quando bem ajustados e seguros, representam um ganho de desempenho muito relevante às empresas e, o mais importante, garantem a integridade física de seus profissionais.

A segurança nos armazéns logísticos é regida por uma série de normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que frequentemente são revisadas e aperfeiçoadas de acordo com as necessidades de cada segmento e evolução do setor de atuação. Confira abaixo:

NBR 15.524/2007 (ABNT) – Sistemas de Armazenagem (diretrizes para o uso de estruturas tipo porta paletes seletivos)

NBR 14.762/2010 (ABNT) – Dimensionamento de perfis formados a frio NBR 8.681/2003 (ABNT) – Ações e segurança nas estruturas

NBR 8.800/2008 (ABNT) – Projetos de estruturas de aço

NBR 6.120/2017 (ABNT) – Cargas para o cálculo de estruturas de edificações

As normas, independentemente das especialidades em que são aplicadas, têm algumas similaridades. Entre essas particularidades estão a capacidade de resistir às cargas de projeto, eficiência da estrutura durante operação dos armazéns (controle de deformações verticais e deslocamentos horizontais) e estabilidade do sistema estrutural, com atenção às folgas mínimas no projeto das estruturas, em especial às distâncias recomendadas pelas normas para folgas entre cargas armazenadas e elementos estruturais. A adequação do projeto da estrutura de armazenagem ao equipamento de movimentação de cargas a ser utilizado na operação do sistema, sempre com enfoque nas recomendações de corredores operacionais e folgas mínimas requeridas pelo fabricante do equipamento (empilhadeira ou similar), também é um ponto relacionado entre as normas.

Variações conforme o projeto

Apesar de compartilharem noções básicas de segurança, também existem entre as normas variações quanto às questões de projeto específico para cada tipo de operação e forma de armazenagem de produtos. As normas indicam as providências de projeto que devem ser seguidas de acordo com o tipo de operação (variações no manuseio e equipamentos utilizados), bem como quanto ao modelo adotado para o armazenamento (forma de disposição dos produtos sobre a estrutura, uso de paletes, racks ou outros dispositivos etc.

Em relação ao tamanho dos armazéns, depósitos ou empresas, no entanto, por se tratar de uma estrutura modulada e, em geral, bastante padronizada, as normas para as estruturas de armazenagem não apresentam nenhum tipo de variação nas suas regras de projeto e dimensionamento em função das dimensões totais do projeto em análise.

Estruturas complexas são regularizadas por normas internacionais

As normas de segurança para armazéns logísticos com estruturas autoportantes, convencionais ou automatizadas, de maior complexidade, seguem um padrão internacional como forma de suprir a falta de referências técnicas nacionais específicas. O Departamento de Cálculo estrutural da Bertolini Sistemas de Armazenagem participa ativamente do comitê técnico da ABNT, responsável pela revisão da norma mais importante no Brasil relacionada a estruturas de armazenagem, a NBR 15.524:2007 – Sistemas de Armazenagem. O principal foco da revisão desta norma é a compatibilização com as normas europeias mais modernas atualmente vigentes, em especial com a EN 15.512, que rege o projeto e dimensionamento de estruturas de armazenagem tipo portapaletes.

Confira abaixo as normas internacionais de maior aplicação:

- EN15.512:Steel static storage systems – adjustable pallet racking systems – principles for structural design

- EN 15620: Steel static storage systems – adjustable pallet racking systems – tolerances deformations and clearances

- EN 15629: Steel static storage systems – specification of storage equipment equipment

- EN 15635:Steel static storage systems – application and maintenance of storage equipment

- EN 15878: Steel static storage systems – adjustable pallet racking systems – terms and definition

- EN 16681:Steel static storage systems – adjustable pallet racking systems - principles for seismic design

- EN 15095: Power operated mobile racking and shelving, carousels and storage lifts – safety Equipment

- FEM 9.831: Basics of calculations for storage and retrieval machines – tolerances, deformations and clearances in the storage system part 1: general, single deep and double deep beam pallet racking

Quais os tipos mais comuns de acidente e como evitá-los

Os acidentes mais frequentes em estruturas de armazenagem se devem a problemas de operação da estrutura, tendo como consequência mais comum as colisões de equipamentos de movimentação de cargas (empilhadeiras) contra os elementos componentes das estruturas, especialmente contra as colunas. As causas mais frequentes para os problemas de operação da estrutura dizem respeito à falta de treinamento específico ou de conscientização e conhecimento dos riscos por parte dos operadores dos equipamentos de movimentação. A operação dos equipamentos com velocidade muito alta ou sem a devida atenção aos procedimentos corretos de manobras e elevação de cargas são algumas das causas para as colisões contra a estrutura.

Como principal forma de se evitarem os acidentes devidos às colisões contra as estruturas de armazenagem, podemos citar o treinamento e a capacitação contínua dos operadores de equipamentos, juntamente ao acompanhamento e monitoramento diário da operação, com ações imediatas diante quaisquer problemas apresentados, assim como a manutenção preventiva dos equipamentos de movimentação.

Como forma de se atingir um acompanhamento regular das condições de operação das estruturas de armazenagem, é recomendável a realização de inspeções técnicas de segurança periódicas para avaliação das condições de conservação das estruturas, de preferência com o acompanhamento de profissionais devidamente habilitados, onde poderão ser identificados os pontos de atenção tanto na operação quanto na conservação da estrutura.

Como forma de minimizar as consequências de impactos, ou reduzir a probabilidade de acidentes de grande proporção, recomenda-se a utilização de protetores de colunas (elemento de grande importância estrutural).

Voltar