Blog

Como evitar acidentes em armazéns?

08 de maio de 2020
De acordo com o Ministério Público do Trabalho, o Brasil é o quarto colocado no ranking mundial de registros de acidentes de trabalho.
Desde 2012, foram mais de 700 milhões de dias de trabalhos perdidos por conta de acidente, além de gastos que ultrapassam a casa dos R$ 70 bilhões. 
 
Com esses dados em mente, é fácil entender a importância da segurança em armazéns logísticos. Sem ela, os gestores expõem os colaboradores a riscos que podem ser fatais — mas não é só por isso que é necessário saber como prevenir acidentes de trabalho. Ignorar a segurança na armazenagem de materiais e produtos impacta diretamente na parte financeira da empresa, uma vez que acidentes podem provocar: 

 
Necessidade de novas contratações;
Afastamento de trabalhadores;
Interdição do ambiente. 
 
Este é um cenário que nenhum empreendimento quer, correto? O lado positivo é que existem alguns passos simples, porém de extrema necessidade, que ajudam a minimizar os riscos de acidente dentro do local de trabalho.
 
Como evitar acidentes em armazéns?
Apesar de muitos gestores enxergarem mecanismos de segurança em armazéns como gasto, os mecanismos do gênero são, na verdade, investimentos a longo prazo. Isso inclui a formação de uma Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), sinalização dos espaços, seleção rigorosa de sistemas de armazenagem, entre outros. 
 
No texto a seguir, separamos cinco dicas de como prevenir acidentes de trabalho. 
 
Avalie os riscos 
Antes de tudo, o primeiro passo para garantir a segurança em armazéns é prevenir que os acidentes aconteçam. Parece algo óbvio, mas infelizmente muitas empresas ignoram esse passo importante até o momento em que alguém se machuca. 
Afinal, a empresa precisa proporcionar aos seus trabalhadores instalações totalmente seguras — é a lei. Existe todo um conjunto de normas reguladoras sobre a segurança e saúde do trabalho, e o não cumprimento das disposições acarretará ao empregador a aplicação das penalidades previstas na legislação pertinente.
 
A prevenção acontece em cinco passos: 
Identificar os possíveis riscos dos trabalhadores expostos;
Avaliar e atribuir prioridades aos riscos; 
Planejar as medidas preventivas necessárias;
Adotar tais medidas;
Acompanhar e revisar os processos. 
 
Dê voz para a CIPA
De acordo com o art. 163 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), toda empresa com mais de 50 funcionários é obrigada a ter uma Comissão Interna de Prevenção de Acidentes, também conhecida como CIPA. O objetivo deste órgão é simples: prevenir acidentes e doenças decorrentes do trabalho, compactuando o trabalho com a preservação da vida e a promoção da saúde do colaborador.
 
Ou seja, a CIPA é essencial para a segurança em armazéns. Porém, muitas vezes essa Comissão é formada apenas para que a empresa não seja multada. Os gestores precisam estimular que os funcionários participem desta organização, para que a mesma tenha uma voz ativa dentro da empresa. 
 
Os voluntários são responsáveis por fiscalizar as condições de trabalho, analisar os riscos, e realizar inspeções de segurança. Basicamente, tudo o que é necessário para garantir que o trabalho de prevenção seja feito da maneira correta.
 
Escolha com atenção os sistemas de armazenagem
Já falamos sobre isso, mas é sempre bom reforçar que os fornecedores exercem um papel de sócios estratégicos para o seu negócio. Isso inclui a responsabilidade deles na segurança em armazéns, principalmente aqueles que fornecem soluções para estocagem.
 
É muito importante que você contrate uma empresa comprometida com o bem-estar dos seus funcionários, além do fornecimento de boas soluções de armazenagem. Os produtos precisam ter passado por rigorosos testes de segurança, pois esta é uma das maneiras de prevenir acidentes de trabalho.
 
Enquanto não podemos negar a necessidade de contratar uma estrutura de qualidade, entendemos que esse não é o único passo para garantir a segurança em armazéns. Os gestores precisam incluir em sua rotina uma frequência e metodologia de avaliação da estrutura em função das avarias causadas pelas operações. 
 
A Bertolini Sistemas de Armazenagem está há mais de 30 anos no mercado e hoje é referência na América do Sul em seu segmento. Essa trajetória de sucesso só foi possível graças ao investimento constante em capacitação e em tecnologia de ponta para produzir as soluções mais eficazes e seguras.
 
O seu portfólio também abrange inspeções de segurança a fim de manter o padrão de qualidade. Os profissionais treinados realizam o levantamento das medidas e situação das estruturas, apontamento de componentes estruturais defeituosos para substituição, avaliação das condições de piso e levantamento das possíveis causas dos danos estruturais. 
 
Dessa forma, a inspeção técnica de Bertolini é fundamental para garantir a segurança em armazéns. Assim, agrega valor para toda a companhia e prolonga a vida útil dos instrumentos escolhidos. 
 
Saiba como limpar os armazéns
Muitos dos acidentes que prejudicam a segurança em armazéns dizem respeito à falta de arrumação e limpeza do local. Para minimizar os riscos, todos os colaboradores precisam ser treinados para manter os itens nos locais corretos, além de evitar o uso de materiais inflamáveis, óleos ou outros líquidos tóxicos. 
 
Ainda no quesito de soluções de estocagem, não podemos deixar de mencionar algumas práticas que ajudam a prevenir acidentes de trabalho. A primeira delas é que os materiais estocados precisam ser organizados de forma que não prejudiquem a iluminação ou o trânsito de pessoas e equipamentos.
 
Implemente a sinalização de segurança
A Norma Regulamentadora 5, a NR 5, diz respeito a outro fator de extrema importância para a segurança em armazéns: a sinalização. O documento oficial do Ministério do Trabalho afirma que a empresa deve adotar cores para indicar e advertir sobre os perigos existentes. No entanto, é necessário reforçar que o cumprimento desta norma não exclui o emprego de outras formas de prevenir acidentes de trabalho.
 
As sinalizações através de cores e símbolos devem indicar: 
Áreas de equipamentos e tubulações, além de advertir para os riscos;
Saídas de emergência e extintores de incêndio;
O uso de equipamentos obrigatórios para aquela área da empresa; 
Faixa de pedestres em áreas que a livre circulação não é segura. 
Voltar